Qual é o papel das crenças e valores na nossa vida?

Ninguém consegue deixar de acreditar em algo.
Sobre si mesmo, sobre os outros, sobre o mundo em geral.


O QUE SÃO CRENÇAS?

CRENÇAS são Generalizações aprendidas sobre a ‘realidade’, com fortes efeitos no sistema de filtragem e significação, ajudando a criar o seu modelo do mundo.
Vamos lá descodificar este pacote de informação:
Generalização (segundo a PNL) é um dos processos universais de modelagem através dos quais criamos mapas da realidade.
Generalizamos sempre que criamos regras ou classificamos algo.
Crenças são aprendidas sobre a ‘realidade’ ou sobre aquilo que julgamos ser a realidade. Depois de adquirida, uma crença transforma o mundo tal como o vemos.

Filtragem é um fenómeno que acontece sempre que observamos ou reagimos a um evento, sempre que falamos de algo ou transmitimos informação. Sempre que interpretamos uma situação ou evento e, consequentemente, criamos um mapa da realidade.

Significação é uma das actividades incessantes da mente. Tudo tem um significado para nós. Melhor dizendo: a tudo damos um significado, mais um menos consciente.

Modelo do mundo é a colecção de mapas da realidade que vamos fazendo ao longo da nossa vida e como resultado mais ou menos consciente das nossas aprendizagens. Ter um modelo do mundo significa dispor de uma enorme colecção de crenças acerca do que julgamos ser verdade e fazer sentido na nossa vida, acerca de nós mesmos e da nossa relação com os outros.

As crenças estão intimamente relacionadas com Valores, que são temas a que damos uma enorme importância. Se, por exemplo, alguém tiver o valor Justiça como princípio orientador, terá, naturalmente, de acreditar em afirmações concretas acerca de justiça, como ser justo, etc.

Outro exemplo, em torno do tema Sucesso:

Valores e crenças

A distinção mais importante que podemos fazer sobre Crenças é saber se elas nos limitam, diminuem o nosso valor próprio e nos fazem sentir mal (crenças limitadoras) ou, se ao contrário, expandem as nossas possibilidades e poder pessoal (crenças ilimitadas).

Ter crenças limitadoras é uma enorme fonte de incongruência, porque dissipam a nossa energia e não nos permitem ser inteiros e completos. Isto sucede, por exemplo, quando gostarias de obter um certo resultado, importante na tua vida, e uma parte de ti, bem lá no fundo, não acredita que sejas capaz de o atingir. Pôr energia no teu objectivo sem resolver a crença limitadora é como regar uma planta mal enraizada em terreno de areia.

REVENDO CONCEITOS
Valores: O que nos motiva ou afasta, o que determina em nós um sentimento de satisfação ou de insatisfação. Constituem os filtros mais inconscientes de avaliação para a qualidade dos nossos procedimentos.

Valores Essenciais: Os nossos valores mais estruturantes, formando a base referencial da nossa identidade.

Crenças: Generalizações que deram sentido a experiências de vida significativas. Afirmações sobre o nosso Modelo do Mundo. Regras de vida e de satisfação de Valores e Necessidades.

Sistema de Crenças: Crenças organizadas à volta de um VALOR.

Atitudes: Estratégias ou sequências comportamentais organizadas em volta de um sistema de crenças, em resposta a uma situação de vida. Aspecto particular do nosso modelo do mundo centrado num valor ou num desafio.

COMO PODEMOS TRANSFORMAR CRENÇAS?
Bem no fundo, ao nível do cérebro, uma crença não passa de um persistente arranjo neuronal. A má notícia é a de que não podemos intervir a este nível. A boa notícia é que foi o inconsciente que armazenou as crenças e é possível, com linguagem adequada, pedir ao inconsciente que recodifique aquilo em que acreditamos. De certo modo, é como se desarrumássemos os blocos de informação e os arrumássemos de novo de uma forma que nos serve melhor.

Quer aprender mais sobre Crenças e porque é tão importante remover ou transformar as crenças limitadoras?
A PNL (Programação Neuro Linguística) oferece uma chave para a interpretação da nossa mente e como podemos criar melhores e mais flexíveis modelos do mundo.
Sugiro que consulte as minhas próximas actividades.

Com votos de uma vida radiante,
Carlos Baltazar

Deixeo seu comentário