Melhorar Relacionamentos e Comunicação com as Posições Perceptivas

“Antes de criticar alguém, incluindo uma parte de si próprio, caminhe uma milha nos seus sapatos” – adaptado de um provérbio americano.

Quer comunicar melhor com os outros? Gostaria de perceber melhor as pessoas com quem tem algum problema de comunicação ou convívio?

Precisa de ter uma boa presença em entrevistas, reuniões, debates?

A PNL ensina métodos excelentes que podem ajudar a resolver conflitos e melhorar relações e os resultados da comunicação em geral.

Os princípios bases são

  1. Compreenda para ser compreendido
  2. Tome a responsabilidade pelo resultado da sua comunicação.

Nós não temos acesso directo ao outro. Somente podemos assistir ao seu comportamento e entender aquilo que a outra pessoa afirma de si própria.

Daqui criamos um modelo simplificado da pessoa, que designamos por personificação do outro.

O mesmo sucede com o mundo real. Cada um de nós cria o seu próprio modelo do mundo, empregando os nossos filtros perceptivos e de pensamento, padrões, convicções, atitudes, etc.

Consequentemente, você tem um modelo do mundo e a outra pessoa tem também um modelo, certamente diferente do seu.

Uma comunicação com mais fluidez e conteúdo obedece a duas condições muito importantes.

  1. O respeito pelo modelo do mundo do outro

Podemos discordar, divergir ou contestar as atitudes e comportamentos do outro mas estamos obrigados, se queremos ter um relacionamento produtivo e uma boa comunicação, a respeitar o seu modelo do mundo.

  1. Uma boa relação com a personificação do outro

O outro existe dentro de nós através da sua personificação. Se esta estiver mal integrada, o nosso relacionamento será prejudicado.

A personificação que fazemos do outro traz uma imagem associada. Quando há algum problema no nosso relacionamento com alguém, esse problema já se traduz na sua imagem e nas sensações que obtemos quando essa imagem nos surge, ao pensar no outro.

Pense em alguém com quem tem um relacionamento que gostaria de melhorar. Qual é a imagem que tem dessa pessoa? Onde a sente? Que sensações lhe desperta? A imagem é grande ou pequena, está perto ou longe de si? É confortável para si ter presente essa imagem?

Mais à frente, vai encontrar um exercício para melhorar ainda mais os seus relacionamentos

Quais são as suas expectativas?

Crie expectativas positivas. Recorde-se de uma situação em que falou com alguém de uma forma calma e expressiva. Visualize uma imagem de si e do outro estabelecendo uma comunicação com sucesso. Deixe que essa imagem se enriqueça com os sons que ouviria nessas circunstâncias e sinta as boas sensações associadas a esse sucesso. Isto, só por si, não assegura que vai ter os resultados que deseja mas cria condições mais favoráveis para que tal suceda.

As 4 posições perceptivas

A capacidade para ver o mundo de diversos pontos de vista é chave para para compreender as pessoas e é muito importante nos relacionamentos, negociações e entrevistas assim como na gestão de conflitos. Porventura mais importante é ainda o efeito que esta habilidade tem na criação de uma auto-imagem saudável e comportamentos adequados aos nossos objectivos mais importantes.

1ª Posição.

Esta é a sua posição individual, a forma como você vê e sente as situações, do ponto de vista das suas crenças, interesses, objectivos. Você está totalmente associado à experiência que está a viver.

Pessoas que adoptam sistematicamente a 1ª posição podem tornar-se egocêntricas, egoístas, antipáticas.

2ª Posição.

Aqui você associa-se ao outro. Usando aquilo que sabe, sente e intui sobre o outro, você incorpora a sua personificação e experimenta a situação a partir do ponto de vista dele.

Para uma experiência mais rica da 2ª posição, é bom adoptar a atitude corporal do outro, ao mesmo tempo que revê mentalmente as imagens que guarda dele.

Pode adoptar esta posição em relação a seres não humanos.

O uso continuado desta posição pode traduzir-se em desprendimento de si com total envolvimento ou dedicação ao outro. Pode tornar-se sufocante para essa pessoa e desequilibrado para os seus próprios interesses.

3ª Posição.

É a posição de uma testemunha neutral. Você vê o mundo, ou a situação específica que a preocupa dum ponto de vista não comprometido com nenhuma das partes.

Alguém que assuma por hábito esta posição tenderá a ser ausente, emocionalmente fria, desligada dos outros.

4ª Posição.

Esta é um pouco mais complexa. Você adopta o ponto de vista do sistema em que se inclui. Imagine que tem um conflito com um colega de trabalho. Na 4ª posição, você integra-se nos valores e objectivos da sua equipa ou empresa. Se a situação ocorre com o seu parceiro sentimental, a 4ª posição é a da família.

O sistema pode ser tão vasto quanto quiser. No limite, é o ponto de vista do Universo.

Os militantes por causas ou valores adoptam frequentemente esta posição.

Exercício com as Posições Perceptivas

  1. Escolha a pessoa com quem quer melhorar a comunicação e o relacionamento. Encontre um local com algum espaço livre e onde não vai ser incomodado.
  2. Disponha no chão, afastados cerca de 2 metros entre si, 4 papéis com os números de 1 a 4.
  3. Colocando-se sobre o papel nº1, releia as características da 1ª posição.
  4. Visualize a outra pessoa à sua frente, sobre o papel nº 2. Reviva realisticamente uma situação típica do relacionamento que tem com essa pessoa, de uma perspectiva estritamente sua.
  5. Coloque-se agora sobre o papel nº 2 e releia as características da 2ª posição. Olhe para uma imagem de si (situada sobre o papel nº1). Trate-se por tu, adoptando ao máximo os sentimentos e interesses da outra pessoa. Quanto mais explorar esta posição mais ganhará em conhecimento útil para melhorar o relacionamento.
  6. Passe agora para o papel nº 3 e imagine que observa, de uma forma imparcial ambas as personificações, a sua e a do outro. Pense a situação ou problema como uma testemunha neutra o faria.
  7. Coloque-se agora sobre o papel nº 4 e reveja as características da 4º posição. Veja e sinta a situação do ponto de vista de um sistema maior onde ambas as pessoas se integram.
  8. Volte por fim à 1ª posição e considere tudo o que aprendeu com esta experiência. Assegure-se que integra dentro de si esta aprendizagem.
  9. Saia dos papéis e visualize uma situação futura em que vai encontrar-se com essa pessoa e veja como se alterou a perspectiva do seu resultado.

Esta técnica é muito poderosa e terá tanto mais efeito quanto mais vezes a treinar. Naturalmente, o acompanhamento de um facilitador de PNL aumentará a sua eficácia.