Criar um futuro atraente – cada vez mais presente

O tempo é algo que existe entre uma possibilidade e a sua realização.

Muitas pessoas imaginam ofuturocomo tendo já acontecido e não se motivam. Outras veem o futuro como algo muito distante, tornando os seus objectivos muito longínquos e desmotivam-se.

“Aprender é movimento de momento para momento.”  –J. Krishnamurti

A Luísa (nome fictício) tem peso a mais e não consegue subir dois andares sem se cansar. Contudo, quando pensa em exercitar-se, ela entra em modo sonhador e imagina-se logo em excelentes condições físicas. Saboreia essa satisfação imaginária de se sentir muito bem com o seu corpo e adia uma vez mais a inscrição no ginásio ou a sua mudança de regime alimentar.
O que a Luísa fez foi excluir o intervalo de tempo entre a possibilidade de ter o corpo que deseja e a sua concretização, durante o qual se deveria esforçar para conseguir um resultado atraente. Resultado: não vale a pena fazer exercício físico.

Por outro lado, se a Luísa imaginar que o tempo entre o seu esforço e o resultado se estica indefinidamente, o seu objectivo fica demasiado afastado e será certamente pouco motivador. Resultado: não há vontade de fazer o tal exercício físico.

A forma como imaginamos o tempo e o representamos na nossa mente é muito subjectiva e varia de pessoa para pessoa.

A PNL (Programação Neuro Linguística) estuda a forma como as pessoas organizam o tempo, guardam experiências e aprendizagens do passado e elaboram fantasias sobre o futuro.

Proponho um exercício sobre o tema do futuro atraente.

1. Se lhe desses ouvidos, o que o teu ‘Eu futuro’ te poderia pedir para fazeres agora?

Imagina a pessoa que queres ser dentro de 1 a 5 anos. Como te vais sentir? O que vais ver à tua volta, como será a tua imagem de ti mesmo, sendo essa pessoa que realiza o teu potencial? Podes até intuir como será o teu diálogo interior, as coisas que dizes a ti próprio, sendo esse teu ‘Eu futuro’ que cumpre o seu propósito?
O que essa pessoa te dirá? Que conselhos e sugestões te oferece? Que possibilidades ela te aponta?

2. Visualiza como poderá ser o teu ‘Eu futuro’ se nada fizeres para conseguires os resultados que gostarias de alcançar. Imagina-te dentro de 5 anos tendo percorrido este caminho. O que este teu ‘Eu futuro’ te poderia dizer?

Tens dúvidas acerca de qual é o teu futuro mais atraente?

O futuro é onde eu vou estar bem

Esta é uma enorme ilusão e uma partida que a nossa mente nos prega por confundirmos resultados futuros com bem-estar presente. Precisamos de nos sentir bem e em paz connosco mesmos, agora já, no presente,  para melhor atingirmos os nossos objectivos. E a verdade é que basta distanciarmo-nos de pensamentos desagradáveis (por exemplo: olhando para eles como se fossem uma ocorrência mental que rapidamente se desfaz como uma nuvem passageira) e focar a nossa mente em sentimentos gratificantes para nos sentirmos bem já neste momento.

Então para que precisamos de coisas que só vamos atingir no futuro? Porque a vida é feita de movimento e uma das necessidades humanas que precisamos de satisfazer é a diversidade e o crescimento pessoal. Portanto, podemos estabelecer um compromisso com a criação de um futuro mais atraente e, ao mesmo tempo, deixarmo-nos preencher já por sentimentos agradáveis e gratificantes.

Como atingir os resultados que fazem parte do meu futuro atraente?

Esta ‘equação’ ajuda a perceber a estrutura da questão:
Resultados = Contexto presente + EU+ Escolhas

O contexto presente não depende de mim, resume os condicionalismos exteriores. Não adianta nada lamentar-me por ser uma situação de que não gosto.
O EU resume tudo o que sou, como me sinto e o meu potencial. Um dos pressupostos da PNL declara que ‘Eu já possuo dentro de mim todos os recursos de que preciso para exprimir o meu potencial, só preciso de os encontrar e activar.
Já as escolhas são imediatas e estão sob o meu controlo.
Então, de facto, os meus resultados só dependem das minhas escolhas e dos recursos que eu puder usar dentro de mim.

Sair de estados-problema, para criar o seu futuro atraente

Muitas pessoas têm dificuldade em criar o seu futuro promissor ou atraente por se sentirem ‘agarradas’ a estados paralisantes, onde ficam enredados pelos problemas.

Porque temos dificuldade em encontrar e mobilizar recursos? Uma razão é estarmos demasiadamente associados ao problema.

O conceito de associação e dissociação (distanciamento) é dos mais importantes na PNL. No estado associado, estamos completamente imersos na situação. Ao recordarmo-nos de algum detalhe é como se revivêssemos novamente a memória, com todo o envolvimento emocional.

Pelo contrário, no estado dissociado, vemos uma imagem da situação como se observássemos de fora, como se fôssemos espectadores de um filme. Para assegurar que estamos dissociados, certificamo-nos que vemos uma imagem de nós mesmos na situação.

O que pretendemos é dissociarmo-nos do problema e associarmo-nos aos recursos de que precisamos para o resolver.

Exercício do Triângulo de Recursos

Triângulo dos Recursos PNL

Comece por dispor no chão os papéis com as letras P (espaço problema), D (espaço dissociado) e R (espaço recursos).

  1. Entre no espaço P. Identifique uma situação ou estado problemático que gostaria de mudar. Brevemente, por uns momentos, associe-se com este estado, sentindo as sensações correspondentes.
  2. Passe à posição D, ‘deixando’ essas sensações na posição P. Olhe para a posição P e aviste uma imagem de si mesmo no campo do problema. Considere como se sente, o que vê e ouve quando está no espaço do Problema. Agora, dirija a sua atenção para a posição R e identifique que recursos serão necessários para resolver a situação P. Exemplo: Humor, Confiança, Curiosidade, etc…
  3. Veja uma imagem de si mesmo na posse desses recursos, situada no local R. Como se manifesta esse ‘EU’? Observe-se a si mesmo como se tivesse resolvido o problema.
  4. Passe para a posição R e associe-se completamente a esse EU, que dispõe desses recursos. Sinta o estado gratificante de ter esses recursos em todo o corpo. Pode aproveitar para exagerar, deixando que a sensação vibre, gire rapidamente e transborde para fora de si.
  5. Volte à posição P (estado problema), trazendo para a situação que era desagradável todos os recursos que precisa e o sentimento muito agradável de os ter à sua disposição.
  6. Fora deste triângulo, faça uma respiração profunda e aprecie como a situação mudou.
  7. Repita as vezes que sejam necessárias.

Criando um futuro promissor

Pense num dos seus objectivos mais importantes, um objectivo que lhe traga resultados valiosos para a sua vida. Algo cuja realização dependa de si e do seu esforço, mesmo que, para isso, tenha de reunir recursos que ainda não tenha totalmente disponíveis.

Imagine que dá um salto para o seu futuro e, com os olhos fechados, desenvolva no espaço da sua mente um pequeno filme de si tendo já atingido o objectivo. O que está a acontecer como resultado de ter atingido o objectivo? Quem pode estar consigo? O que lhe podem dizer essas pessoas?

Agora entre no filme, ficando totalmente associada à situação, vendo com os seus olhos o que acontece à sua volta. Oiça os sons e as palavras que outros podem dizer, confirmando o seu sucesso.
Recorde-se que você é a realizadora deste filme, portanto pode torná-lo muito, muito atraente. Aproxime as imagens, faça-as grandes, bem luminosas e cheias de cor. Pode inclusivamente criar uma banda sonora excitante.
O que poderá estar a sentir nessa ocasião? Antecipe, agora, todas as sensações boas e calorosas de ter os resultado que deseja já ao seu dispor.

Olhe agora na direcção do seu passado e considere as diversas etapas que passou até aqui chegar. Quais foram os primeiros passos? Que conselhos e sugestões pode dar a si mesma para fazer este percurso que a trará ao seu futuro atraente?

Guarde estas preciosas informações e grave uma imagem de si mesma que simbolize a chegada a esse futuro promissor. Traga-a consigo e recorde-a sempre que precisar de motivação para persistir na criação do seu futuro mais presente!