Responde ao apelo do teu futuro

Manifesta o teu potencial e dispõe de mais recursos na tua vida 

“O passado está vivo na memória, o futuro presente no desejo.” (Carlos Fuentes)
Será possível conciliar esta ideia, da presença simultânea do passado e do futuro com a sugestão de que o AGORA é o único momento em que existes, como sustenta  Eckart Tolle?
E. Tolle tem escrito abundantemente sobre o poder do Agora e as virtudes do estado de Presença. E aqui, particularmente, a PNL está de acordo:
Inquietação, ansiedade, tensão, stress, preocupações – todas as formas de medo – são causadas por demasiado futuro e insuficiente presença.
Culpa, arrependimento, ressentimento, lamentações, tristeza, amargura e todas as formas de sentir onde esteja ausente o perdão são causadas por demasiado passado e insuficiente presente.

A PNL (Programação Neuro Linguística) afirma que a memória do passado está codificada na nossa mente de acordo com o peso emocional associado aos diversos episódios e que é possível trabalhar sobre a nossa história pessoal e melhorá-la.

O presente é onde nos conectamos ao outro e ao cerne de nós.
E isto nunca pode ser adiado para nenhum momento futuro nem encontrado em inúteis deambulações no passado.
Apesar de todos os momentos da nossa vida acontecerem no presente, a nossa mente tem a extraordinária capacidade de viajar no tempo.
O futuro está presente no desejo de crescer e na aspiração pela variedade que são duas das grandes necessidades humanas.

Podes imaginar-te numa viagem ao teu futuro, daqui a alguns anos?
Escolhe um momento para repousares em contacto com esse teu EU futuro e aproveita para olhar para o momento presente.

A partir desse momento futuro, onde terás ganho mais experiência e sabedoria, poderás reparar em tudo o que é realmente importante para ti, agora.
Interroga-te:

  • Como gostarias de ter passado mais tempo? Fazendo o quê?
  • Em que áreas da tua vida gostarias de ter investido mais?
  • Quais são as coisas realmente importantes para ti, quando observadas do futuro?
  • Quais as pessoas que gostarias de ter acompanhado mais?

A vida está repleta de eventos que não controlamos.
A alguns chamamos obstáculos e problemas. Se os olharmos de muito perto, parecerão enormes e permanentes. Se nos afastarmos, reduzem-se ao seu real tamanho. Que é tão pequeno quanto a perspectiva de onde os avistarmos. Dar um salto ao futuro é uma das maneiras de relativizar os problemas. Como tudo na vida, também os obstáculos e os maus momentos passarão.
Temos a tendência para julgar permanentes os problemas e passageiros os bons momentos. Ambos são uma ilusão.
Na verdade, tudo passará e só é nosso o que pertence à nossa essência como seres conscientes. Ao subirmos no plano da consciência, poderemos permanecer num estado de contentamento e harmonia apesar dos altos e baixos que não controlamos.
Não vivemos sozinhos e os outros são importantes para a expansão da nossa vida, acompanhando-nos na fabulosa viagem em direcção ao futuro.
Sobre os outros, podemos ter intuições, facilitadas pelo amor ou por formas superiores de conexão.
Sobre nós, sabemos um pouco mais. Mas o que sabemos é sobre o Eu de hoje. Contamos a nós mesmos histórias sobre o Eu de ontem e fantasiamos sobre o EU de amanhã.
Quando nos comprometemos, fazemos um contrato assinado pelo eu de hoje, comprometendo o de EU de amanhã.
Afinal temos ou não uma parte de nós estável que garanta a manutenção da identidade e o respeito pelos compromissos interiores?

Na PNL, fazemos a distinção Causa- Efeito como uma escolha pessoal ou um modo de viver.
 Estando na Causa, determinamos as nossas escolhas e resultados. Se estivermos no Efeito, as coisas acontecem-nos e somos conduzidos muito mais do que somos condutores do fluxo da nossa vida.

Estar no Efeito é como viver no passado, já que o nosso presente está já escrito por outros.

Ainda que tenhas boas razões de queixa da vida, escolhe não ser vítima. A culpabilização de outros, da vida em geral ou do ‘sistema’ pode dar-te uma falsa sensação de conforto em troca de te roubar a capacidade de recolher informação útil para mobilizar recursos e aproveitar oportunidades. Pior, rouba-te o acesso à manifestação do teu verdadeiro potencial.

Escolher estar na Causa é viver no Presente com uma orientação fértil para o Futuro. Em cada momento, determinamos a sequência da nossa narrativa mesmo que as dificuldades do presente possam encher de nevoeiro as perspectivas que se nos oferecem. De facto, são as nossas escolhas e a crença de dirigirmos o nosso rumo que nos permite afastar os nevoeiros e desfrutar da clareza mental que é um estado natural da consciência.

O teu crescimento é a forma de dares sentido à imparável viagem para o futuro e pode incomodar quem não quer ou não pode acompanhar-te.
É quase impossível mudar sozinho. Há sempre um confronto com o outro. Podes ter de mudar contra os teus amigos ou familiares.
Alguns deles irão dizer-te, com a melhor das intenções: “Ah, tu não vais dar-te bem “. ” Não estou mesmo a ver-te nessas andanças”. E por aí fora…
Afinal, para cresceres, pode suceder que fiques momentaneamente só porque os teus amigos não te acompanham.
E irás agradecer, porque só precisas de quem vai contigo.
Outros companheiros de jornada te esperam.

O futuro é também o território dos Sonhos.

A PNL (Programação Neuro Linguística) oferece-nos a possibilidade de viajar no tempo, através da codificação das nossas memórias e da criação de um futuro atraente e promissor. Os objectivos bem formulados são um programa neurolinguístico para o sucesso. Os sonhos podem ser o terreno fértil onde os objectivos se desenvolvem.

Pode um SONHO revelar-se uma decepção ao concretizar-se?
Ou aterrorizar-nos se o não o seguirmos?
Decerto que sim, mas somente se tivéssemos dado a esse sonho o poder de nos validar (“somos bons e importantes se obtivermos esse sucesso…”) ou de nos tornar felizes (“serei feliz após conseguir tal e tal…”)

Temos sonhos para nos ‘dopar’ o ego, nos perseguir com as sombras da sua inacessibilidade ou para nos ILUMINAR O CAMINHO?
O que podemos fazer dos sonhos? Eles podem ter duas naturezas:
1. São alcançáveis sob controlo próprio dentro de um prazo razoável, com metas específicas. Transformemos esses sonhos em objectivos, resultados e projectos que nos gratifiquem não só na sua conclusão mas também, e principalmente, durante o seu desenvolvimento.
2. São sonhos de encantar, sem possibilidade de concretizar de uma forma sustentável em termos práticos. Tudo bem; não temos de nos desfazer deles nem de sofrer por não os atingir – eles podem ser faróis que iluminam um caminho distante. Sabemos da sua presença, confortamo-nos com a sua luz mas não temos necessariamente de nos guiar por eles. Por enquanto…

Convido-te a saber mais sobre Programação Neuro Linguística agendando uma sessão de Coaching com PNL ou participando num curso breve ou numa Certificação. 

Carlos Baltazar